Instituto Ama

Rua Emma Elvira Bini 33. Capão da Imbuia
Curitiba PR  82810-020

Telefone: 41-3026-4819

Instituto Ama

A Associação nasceu da solidariedade e do trabalho voluntário de pessoas como Gasparino Seratto, Ezicleia Poss Seratto, Nensi de Siqueira e Cleverson Siqueira, que visitavam famílias carentes da região, para as quais levavam além de doações, seu carinho e atenção. Percebendo as fragilidades e demandas de toda ordem para um grande número de crianças e adolescentes sem os cuidados básicos de higiene, saúde e fracasso escolar sendo esses os fatores determinantes para fundar uma associação que ofertasse um atendimento digno na promoção da garantia dos direitos de crianças e adolescentes daquela comunidade.

O Instituto AMA – Associação Mantenedora de Apoio a Criança de Risco e de Câncer, foi fundada em 02 de Julho de 2003, de caráter filantrópico, sem fins econômicos. Localizada na Rua : Emma Elvira Biancolini Bini, n° 33 Bairro Capão da Imbuia em Curitiba, Cep 82.810-020. Reconhecida como de Utilidade Pública Municipal nº 12.171 de 17/04/2007, Utilidade Pública Estadual nº 16.460 22/02/2010 e Certificada pela Fundação de Ação Social em 13/05/2011 sob o registro nº 538, tendo como suas finalidades estatutárias a Defesa dos Direitos da Comunidade destinando as doações recebidas em benefício da Comunidade de sua área de abrangência.

MISSÃO

O AMA tem em sua missão promover e articular ações de defesa de direitos, prevenção, orientações e a prestação de serviços para a melhoria da qualidade de vida das crianças em situação de vulnerabilidade e risco social e o apoio a família, buscando a construção de uma sociedade mais justa e solidária.

Há o atendimento mensal a 110 crianças, destas 56 crianças de risco social com idade de 01 e oito meses a 13 anos , atendidas diariamente dentro do Instituto, desde a higiene pessoal, alimentação, orientação escolar, atividades lúdicas, oficinas sócio educativas, de forma gratuita, planejada e continuada.

Crianças especiais cadastradas no Instituto , que apresentam demanda de saúde, com distribuição mensal de leites especiais, medicamentos , fraldas geriátricas,cama hospitalar, entre outros, cada um dentro do que precisa ao longo do tratamento.

OBJETIVO DAS ATIVIDADES:

Vivenciar, atividades culturais, recreativas através da dança que contribuam para o desenvolvimento integral das crianças atendidas;
Trabalhar de forma integrada entre nas atividades lúdicas e esportiva visando o atendimento das necessidades oportunizando variados tipos de experiências de aprendizado;
Aprender a manifestar-se culturalmente através da vivência de diferentes linguagens (corporal, visual e verbal) de forma prazerosa e lúdica;
compreender o papel da brincadeira no desenvolvimento infantil, bem como a utilizar a brincadeira como ferramenta pedagógica.
Trabalhar o vínculo familiar, orientações e responsabilidades quanto ao processo sócio educativo da criança.
A JUSTIFICATIVA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO:

No Brasil, há formas diferenciadas da sociedade compreender e tratar as fases da infância, formas essas dependentes das categorias sociais a que eles pertençam. Referimo-nos a um processo de socialização desigual, pautado em classes sociais. Maneiem (1968) denomina essas fases de desenvolvimento de “prolongadas” ou “abreviadas”.

A relação da infância com a sociedade é desigual: não há a existência de uma infância e de uma juventude para todos. Desse modo, aqueles pertencentes às classes dominantes vivenciam um desenvolvimento prolongado, enquanto os que pertencem às classes dominadas, de baixo poder aquisitivo, têm um desenvolvimento abreviado.

O ECA, concebido como a doutrina da proteção integral, determina a forma de atuação das entidades governamentais e não governamentais no atendimento à criança e ao adolescente e que, segundo o Artigo 86, dar-se-á mediante um conjunto articulado de ações governamentais e não- governamentais, da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios.

No Artigo 87 do ECA, são traçadas as linhas de ação da política de atendimento:

políticas sociais básicas, políticas e programas de caráter supletivo para os que dela necessitarem, serviços especiais de prevenção, de educação e atendimento médico psicológico às vítimas de negligência, maus tratos, exploração, abuso, crueldade e opressão, e proteção jurídico-social por entidades de defesa dos direitos da criança e do adolescente.

É nesse contexto da política de atendimento que tem lugar o papel do educador/educando. O Instituto Ama propõe uma modalidade de acolhimento a crianças que se encontram em situação de risco pessoal ou social por meio eio das feliz amaatividades socioeducativas, do lúdico e do brincar, no ampliar de suas possibilidades, na melhoria de sua condição de vida, fortalecendo-os enquanto indivíduos na garantia de seus direitos, como protagonistas de sua própria história.

DIAGNÓSTICO DA ÁREA:

O Projeto vem sendo desenvolvido desde 2003, quando do inicio das atividades no bairro Capão da Imbuia. Localidade reconhecida como vulnerável e de risco. Bairros Limítrofes: Cajuru e Bairro Alto considerados também com histórico de violência. A linha do trem como o córrego também é uma fronteira que divide o bairro com a Vila Oficinas ou o Cajuru por toda a extensão do bairro, até Pinhais. População 24.000 habitantes.

Educação: O Capão da Imbuia cedia algumas Instituições Escolares públicas estaduais e municipais que são: Colégio Estadual Maria Aguiar Teixeira,Colégio Estadual República Oriental do Uruguay, Colégio Estadual Paulo Leminski,Escola Municipal Enéas Marques dos Santos,Escola Municipal CEI Eva da Silva.

Associação Mantenedora de Apoio à Criança de Risco e com Câncer

Mostrar o Mapa Website




Informar um Problema